UEFA e FIFA suspendem seleção e clubes da Rússia das competições internacionais

Foi anunciado no último dia de fevereiro, dia 28, por parte da FIFA e UEFA, num comunicado conjunto, a imediata suspensão da seleção da Rússia e dos seus clubes das competições internacionais. Com uma guerra a acontecer entre Rússia e Ucrânia as federações viram-se obrigadas a criar uma forma de os afastar.

Assim sendo e com efeitos imediatos, a seleção da Rússia, que tinha em março a meia-final do play off do mundial do Qatar em 2022, fica afastada da competição. Juntamente com a seleção deste país segue o Spartak de Moscovo que iria disputar os oitavos de final da Liga Europa frente ao Leipzig.

Após várias seleções (inclusive Polónia que era o adversário do mundial) alertarem que não iriam encontrar em campo contra a Rússia, a UEFA e FIFA foram obrigadas a agir, mas não ficou por aqui.

Gazprom vê patrocínios a rescindirem contrato

O Shalke04 foi a primeira equipa internacional a rasgar o contrato com a Gazprom após a guerra que está a acontecer na Europa, entre Rússia e Ucrânia. Todavia, a UEFA chegou-se também à frente e rescindiu, com efeitos imediatos, o contrato que tinha com a Gazprom, empresa russa, o que afeta os contratos da Champions League, entre outros.

Comunicado na íntegra

“Na sequência das decisões iniciais adotadas pelo Conselho da FIFA e pelo Comité Executivo da UEFA, que previram a adoção de medidas adicionais, a FIFA e a UEFA decidiram hoje em conjunto que todas as equipas russas, quer sejam equipas representativas nacionais ou equipas de clubes, serão suspensas da participação em competições. tanto da FIFA como da UEFA até nova ordem.

Estas decisões foram hoje adotadas pelo Gabinete do Conselho da FIFA e pelo Comité Executivo da UEFA, respetivamente os mais altos órgãos de decisão de ambas as instituições em matérias tão urgentes.

O futebol está totalmente unido e em plena solidariedade com todas as pessoas afetadas na Ucrânia. Ambos os presidentes esperam que a situação na Ucrânia melhore significativa e rapidamente para que o futebol possa ser novamente um fator de unidade e paz entre as pessoas”.

Muito além do futebol

Ainda assim, não é só no futebol que está a ser causado o impacto. Na verdade, o basquetebol também já sentiu, onde a Euroliga suspendeu todas as equipas russas de competir. Além do basquetebol e futebol, o fórmula-1 também já se mexeu e vários patrocínios deixaram de existir.

Mas, não ficou por aqui e deve ir ainda mais longe. Desde já cancelaram o Grande Prémio da Rússia que iria ser disputada a 25 de setembro, principalmente por vários pilotos afirmarem que não aceitavam competir na Rússia. Todavia, a guerra criou um problema maior, o piloto Dmitry Mazepin, da HAAS. O mesmo é patrocinado por empresas russas e a sua equipa já colocou em cima da mesa a possível suspensão do mesmo, principalmente por conflitos governamentais que podem surgir. Ainda assim, a HAAS já começou por eliminar as cores da Rússia da sua equipa e carros.

O impacto da saída da Gazprom

Ao que tudo indica, são cerca de 100 milhões de euros que a UEFA irá perder com a saída da Gazprom dos patrocínios. Porém, o contrato era até 2024 e estima-se que a perda atualmente seja de 50 milhões, valo que poderá já ter sido adiantado e problemas podem aparecer.

No caso do Shalke04, indica que o contrato era de 30 milhões de euros. Em suma, patrocínios que terão um impacto muito forte nas finanças das equipas ou federações.